Acadêmico da IDEAU empreende ainda na graduação e ganha espaço no mercado olerícola | IDEAU Bagé
Vestibular
INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DE BAGÉ
FACULDADE IDEAU DE BAGÉ
27/08/2019
Curso

Acadêmico da IDEAU empreende ainda na graduação e ganha espaço no mercado olerícola

Acadêmico do 9° semestre do curso de Agronomia da Faculdade IDEAU, Ricardo Figueiredo de Almeida, 36 anos, é natural do município de Caçapava do Sul, mas atualmente reside no município de Bagé, onde está prestes a concluir a graduação e, também, onde tem trabalhado e se destacando na região como produtor de flores e plantas ornamentais.

Tudo começou de forma moderada, mas, a atividade que era para ser desenvolvida sem pressa, ganhou reconhecimento e rapidamente ganhou admiradores no município de Bagé e na região. Ricardo conta que, quando iniciou o projeto, há dois anos e meio, queria apenas produzir mudas utilizando estaquias, para que quando terminasse a graduação ficasse mais fácil montar estufas e empreender junto com a família abrindo uma floricultura.  Entretanto, a produção aumentou rapidamente e ele começou a ficar em espaço no pátio de casa, motivo que levou Ricardo a começar a comercializar algumas plantas. Hoje, o futuro engenheiro agrônomo já atende dez floriculturas e uma agropecuária em Bagé, também tem clientes na BR 153 e em Caçapava do Sul. A produção conta com hibisco (22 cores) lanterna japonesa (3 cores), lanterna chinesa (2 cores) buganville (6 cores), ora pro nobis, jasmim manga, suculentas, cactos, e ainda, tem olericolas, em especial temperos como salsa crespa e lisa, cebolinha, manjericão verde e roxo, alecrim, tomilho.

Mais do que fonte de renda, a produção de plantas feitas por tem sido observadas na comunidade. Ricardo foi convidado para dar minicursos com o tema de propagação de mudas em sete escolas. Participou também de um minicurso de propagação na semana do meio ambiente na praça do Coreto e até já participou de aulas na graduação para alunos das disciplinas de Paisagismo e fruticultura, onde abordou a propagação de suculentas e a propagação de frutíferas por estaquia, alpoquia e mergulhia. Todas essas interações com a sociedade são realizadas com muito empenho, uma vez que a atividade é desempenhada com adoração, “ desde pequeno gostava muito de veterinária, mas no curso de Agronomia eu aprendi a gostar de produzir mudas, dar vida às plantas, além disso plantar e mexer na terra para mim é uma terapia” explica ele.

Com planos para iniciar nos próximos meses a pós-graduação da Faculdade IDEAU em Produção Vegetal, Ricardo relembra que antes de iniciar a faculdade não sabia nada sobre o ramo, e que no decorrer do curso contou com o apoio e suporte dos professores, “com as informações que eu ia recebendo, fui fazendo testes… Já usei vários tipos de substratos, e já obtive vários resultados, desde o não desenvolvimento de plantas até resultados bem satisfatórios. Tenho muito incentivo dos professores, eles sempre me apoiam” relata ele.

 

Comentários